SEJA BEM VINDO !

Este blog é para troca de informações, idéias e experiências na área da educação, conhecimento religioso e teológico.

"A PAZ DEVE SER O ALIMENTO DIÁRIO NA CONSTRUÇÃO DE UM MUNDO MAIS JUSTO E SOLIDÁRIO !" (Jorcemar)



(Algumas imagens usadas no blog são retiradas da internet, se for de seu domínio e desejar que sejam retiradas favor entrar em contato pelo email:jbaduc@yahoo.com.br

domingo, 27 de julho de 2014

Resenha do filme documentário de Darcy Ribeiro : O povo brasileiro, Brasil caboclo.




O filme de Darcy ribeiro, fala da Amazônia como uma beleza incomparável, a história do reino das mulheres guerreiras.  Aziz , ab saber, participa falando dos maiores domínios da natureza existente, rios de grandes volumes d `agua, assim chamados pelos índios, e caboclos e os pequenos  igarapés pequenos trechos d`agua.
Varias doenças foram introduzidas pelos brancos, colonos, portugueses etc. Os índios foram dizimados, é apresentado no filme um texto do Pe.  Antônio vieira falando da devastação dos índios.
Chico Buarque aparece no filme falando do surgimento do caboclo. A língua tupi – guarani era a língua falada, o português era falado como segunda língua introduzida por d. Pedro II, é introduzido um o novo contexto econômico baseado na exploração.
Paulo Vanzolini participa falando do surgimento dos seringueiros, a Amazônia, foi ocupada no fim do séc. XVIII.
Em 1955 começa a penetração do homem através da transamazônica, começa a degradação e o contato com os índios, prejudicando a cultura e o meio ambiente, durante o filme aparece a fala de Chico Mendes e sua luta.
O filme mostra a festa do círio de Nazaré, as danças, Amazônia que tinham que sair do sistema antigo para o sistema moderno, mostra também a diversidade de frutos, peixes e que podia ser um grande pode econômico. Enfim mostra a Amazônia como um grande jardim, um potencial, que pode ser usado com consciência.




 Jorcemar Bezerra de Albuquerque

XIII Seminário Nacional de Formação de Professores para o Ensino Religioso (SEFOPER)


Este ano o tema será : ENSINO RELIGIOSO, CIÊNCIAS DA(S) RELIGIÃO(ÕES) E DIREITOS À APRENDIZAGEM: Pesquisas e práticas pedagógicas.
O XIII SEFOPER será realizado nas dependências do CENTUR, situado à Av. Gentil Bittencourt, 650 – Nazaré, cidade de Belém-PA, entre os dias 06 e 08 de novembro de 2014.





A página do site do XIII Seminário Nacional de Formação de Professores para o Ensino Religioso (SEFOPER) já está disponível em http://www.fonaper.com.br/xiiisefoper/. Acesse-o e conheça a proposta do evento.


quarta-feira, 23 de abril de 2014

HOMENAGEM A NOVA TURMA DE CIENTISTAS DAS RELIGIÕES-UFPB 2013.2









Ciências das Religiões é a área de investigação sistemática que tem, como base, uma estrutura multidisciplinar formada a partir do enfoque ao fenômeno religioso por várias ciências, como a sociologia, a filosofia, a antropologia, a história, a psicologia e a teologia.

FICHA DE RESUMO DE CONTEÚDO- FRC DO TEXTO : Uma história da medicina e da cura espiritual no Brasil.





1.    Identificação do texto:
NUÑEZ, Sandra. Uma história da medicina e da cura espiritual no Brasil. São Paulo: Pensamento, 2012, p. 23-55. 

2.  Idéia (s) principal (ais) do texto:
Identificamos no texto: as concepções de cura espiritual na tradição do espiritismo, xamanismo, indígena e afro brasileira; a intervenção desta  cura medicinal para o tratamento de saúde física e espiritual; e descobertas da medicina moderna além do aspecto  científico e filosófico nesta área de Espiritualidade e Saúde. 

3. Argumento (s) principal (ais) do texto:
A ideia de que os espíritos influenciaram os pensamentos, os atos, a saúde e a doença não se originou na doutrina espírita nem no território brasileiro. Ela existe desde os primórdios da vida humana na Terra. (NUÑEZ, 2012, 2012, p. 23)
 O Brasil, em sua expressão imortal da vida espiritual, passou a representar, para o mundo inteiro, o alicerce de um novo modo de pensar. Com a colaboração de Allan Kardec, Bezerra de Menezes, Chico Xavier e João de Deus, como outros médiuns autênticos, o Brasil promete ser a nação que levará a humanidade ao seu Eu Maior. (NUÑEZ, 2012, p. 30)
Ao contrário do modelo clássico da literatura de medicina, o modelo espiritual afirma que o relacionamento entre alma e o corpo está inextricavelmente ligado à saúde da pessoa. Sem diagnóstico e tratamento adequados (que não ignorem a dimensão espiritual do ser humano), não é possível atingir níveis de consciência mais elevados, a transformação pessoal fica inevitavelmente prejudicada e a cura pode não ter um efeito duradouro. (NUÑEZ, 2012, p. 37)
Os médicos brasileiros treinados na medicina moderna e que adotaram uma visão mais holística da saúde e da cura, assim como médicos do mundo inteiro que estão redescobrindo um senso renovado de sacralidade na medicina científica, agora reconhecem a grande necessidade de se transcender o estudo do fenômeno químico relacionado ao metabolismo biológico humano. (NUÑEZ, 2012, p. 39)
Para os espíritas brasileiros, a alma e o espírito são, na verdade, dois aspectos de uma única entidade. Em outras palavras, a alma/ espírito é um continuo de uma unidade sagrada que conecta o aspecto vibracional do ser espiritual ao aspecto material do ser humano. A alma é a essência imortal que a vida ao corpo biológico e faz parte da sua constituição em níveis sutis de energia. (NUÑEZ, 2012, p. 49)

4.  Seu Comentário pessoal sobre o conteúdo do texto:
    Compreendemos a parti da leitura do texto a relação da espiritualidade e saúde no contexto religioso e acadêmico. Sobretudo destacamos a formação dos curandeiros e a chegada dos escravos africanos em 1530, momento esse que permitiram que esse sistema de crenças desenvolve-se o significado da cura com a tradição indígena, espírita e afro-brasileira. Neste contexto, a formação deste trabalho na área medica e religiosa, com essa cura do espírito e da alma, possibilitaram evidenciar esse papel fundamental  neste texto.  

____________________________________________________-
Prof. Thalisson Pinto Trindade de Lacerda é Licenciado em Ciências das Religiões-UFPB.
Colaborador do nosso Blog.

FICHA DE RESUMO DE CONTEÚDO- FRC DO TEXTO : ESPIRITUALIDADE BASEADA EM EVIDÊNCIAS.




Prof. Thalisson Pinto Trindade de Lacerda*




1.    Identificação do texto:

SAAD, Marcelo; MASIERO, Danilo; BATTISTELLA, Linamara Rizzo. Espiritualidade baseada em evidências. HC FMUSP, Revista: Acta Fisiátrica. n. 3Vol 8.

2.  Idéia (s) principal (ais) do texto:
 Identificamos no texto: A espiritualidade e a saúde em evidências terapêuticas; o tratamento clínico e espiritual com pacientes e o crescente número de produções científicas e projetos desta natureza.  
3. Argumento (s) principal (ais) do texto:
Espitualidade pode ser entendida, como um sistema de crenças que enfoca elementos intangíveis, que transmite vitalidade e significado a eventos da vida. (SAAD; MASIERO; BATTISTELLA).
Os profissionais da saúde já contam com indicações científicas do beneficio da exploração da espiritualidade na programação terapêutica de virtualmente de qualquer doença. O presente artigo cita os trabalhos mais relevantes sobre o assunto. (SAAD; MASIERO; BATTISTELLA).
Exemplo: Carroll², 1993 100 alcoólatras em tratamento. (Aspectos espiritualistas foram associados a tempo de sobriedade e número de comparecimento de sessões).
Então é plenamente reconhecido que a saúde de indivíduos é determinada pela interação de fatores físicos, mentais, sociais e espirituais. (SAAD; MASIERO; BATTISTELLA).


4.  Seu Comentário pessoal sobre o conteúdo do texto:
 De acordo com a leitura do texto compreendemos que, nas ciências da saúde estão abordando o tema da espiritualidade com relevantes estudos. Sendo assim, os autores comprovam o significado desse conteúdo multidisciplinar baseado em experiências de vida e espiritual. . Sobretudo, ampliando este mesmo estudo para realização de projetos e artigos científicos para tal intento.
    
 _______________________________________________________________
*Prof. Thalisson Pinto Trindade de Lacerda é Licenciado em Ciências das religiões- UFPB.
Colaborador do nosso blog

 

TEORIAS E PRÁTICAS SOBRE AVALIAÇÃO: REFLEXÃO NA DISCIPLINA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM




Prof. Thalisson Pinto Trindade de Lacerda*



1.    Reflita sobre as situações de exame ou de avaliação pelas quais você já passou em sua vida acadêmica. Existe alguma semelhança com a situação apontada no texto acima?

Sim, durante minha formação na educação básica e acadêmica alguns professores se utilizaram de métodos tradicionais para indução de conteúdos sem contexto algum, sobretudo, esta avaliação como uma crença de acertos de contas. Esta insuficiência pedagógica e epistemológica a formação do professor permitiu que este “exame” realizado cobrasse do discente apenas o ‘ decoreba’ do conteúdo apresentado em sala.
Neste contexto, duas implicações podem ser um exemplo desse processo na educação básica e acadêmica apresentado no texto; decorar as 10 questões de história para avaliação e assistir um revisão para a prova e estudar o conteúdo para uma avaliação totalmente diferente do que foi apresentado em sala.
 Vejamos como podemos melhorar esse processo educacional e acadêmico, visando à responsabilidade e a crença cultural no contexto da avaliação e da auto avaliação entre professor – aluno- ensino – aprendizagem.

2.    Discuta com seus colegas sobre a importância das avaliações as quais vocês foram submetidos no ensino básico e as contribuições das mesmas para o atual processo de formação em que você se encontra. Faça os apontamentos e depois elabore um texto destacando as impressões positivas e as negativas sobre a avaliação.

Com os estudos realizados durante as aulas de avaliação da aprendizagem percebemos os diferentes modelos de avaliação, além das implicações positivas e negativas que este modelo causa com a avaliação. Sejam eles, a prática somente de um exame como avalição tradicional ou a perspectiva construtivista estabelecida na reflexão do dialogo, exposição das ideias que possam melhorar a participação de todos na avaliação flexível ao contexto sócio cultural.
É neste contexto como professor que precisamos transformar nossas impressões negativas da avaliação, desconsiderando o ‘exame’ como única técnica pedagógica a ser aplicada em sala de aula, sobretudo, como uma ‘camisa de força’.



3.    Neste momento você já tem elementos para refletir sobre a necessidade de mudanças nas práticas avaliativas no sentido de torná-las significativas para o atual contexto. Reflita sobre modelos de avaliação seguidos em algumas escolas nos quais a nota foi substituída por conceitos. Esta mudança é suficiente para atender os novos desafios educacionais? Por quê?

Não é uma técnica suficiente para atender a todos os novos desafios educacionais, mas pode trazer resultados satisfatórios, sobretudo para a educação. Por exemplo: esse uso do conceito em todas as disciplinas pode fortalecer as praticas para uma reflexão deste ensino e promover um debate entre esse processo educativo com a formação democrática deste sujeito consciente. Mas é preciso uma mudança significativa entre a prática do professor e um projeto nacional na legislação que assegure essa avaliação com a técnica a ser aplicada.

4.    Releia atentamente os modelos de avaliação e elabore um pequeno texto identificando também as vantagens e as desvantagens de cada um deles. Em seguida, elabore questão para fins de avaliação sobre cada modelo na perspectiva dos mesmos.

Segundo os modelos de avaliação a prática do professor com a técnica na elaboração da avaliação é fundamental para o aprendizado do aluno, entretanto, precisamos fazer uma reflexão das vantagens e desvantagens de cada modelo com a prática educativa.
O primeiro é o modelo psicométrico que tem como paradigma fundamental o empirismo. Com o advento do século XX este modelo construiu uma prática de repetição estabelecida com base no comportamento do aluno e na valorização de testes, prova de múltipla escolha etc.
  A vantagem desse modelo é a produção repetitiva de conteúdo, ou seja, deixa o aluno apto para a experiência no processo de ensino – leitura e memória. A desvantagem é usar apenas esse modelo como única maneira de produção educativa e deixando as margens outros, inclusive o sistêmico.
               Este modelo apresenta-se na década de 1960 com a formação de nova teoria para aprendizagem, ou seja, a avaliação sistêmica preocupa-se com os instrumentos pedagógicos para o ensino, porém essa aprendizagem segundo o texto detecta as dificuldades e resolver os problemas do que a verificar os resultados da aprendizagem.
Mesmo com este progresso sistemático, interpretar o contexto da diversidade cultural e da aprendizagem, não ocorre como relação direta ao cotidiano e as condições que esta relação ocorre. Sendo assim a vantagem deste modelo esta na organização dos instrumentos pedagógicos para a aprendizagem com a seleção de critérios para avaliação, já a desvantagem é a ausência de solucionar os problemas do cotidiano escolar como os resultados da aprendizagem do aluno.
 Mais o último modelo comunicativo ou psicossocial corresponde à construção do ser social, facilita a qualidade na comunicação social entre professor – aluno. Segundo o texto, este modelo desenvolve no aluno o senso da auto avaliação e da produção autônoma da aprendizagem. Temos como vantagem, a orientação, o contato direto entre o professor- aluno e a valorização da avaliação como significativa a ser aplicada como esta finalidade.  Nas desvantagens existem a falta desse modelo nas escolas e as lacunas referentes à qualidade dos recursos pedagógicos que este modelo precisa para ser utilizados pelo professor na sala de aula.
Para reflexão da avaliação, vejamos três questões referentes aos modelos;
1)     O que é pré-história?
Comentário: essa pergunta é objetiva e requer apenas do aluno a ‘memorização’ deste conteúdo para ser apresentado nesta questão. (modelo psicométrico)
2)         Em 1824 no império brasileiro o Ensino Religioso (ER) foi considerado confessional nas escolas com a catequese, nos dias atuais essa prática ainda existe, porém sendo trabalhada para que o respeito à diversidade cultural e religiosa possam ser utilizados com os instrumentos pedagógicos para a formação de uma cultura tolerante.
De acordo com o texto, faça uma análise apenas da diferença entre a prática deste Ensino Religioso no passado e o presente do ER para a sua formação pedagógica.
Comentário: está pergunta exige apenas do discente uma análise entre a prática deste ER no passado e no presente.
3)         Observe a ilustração e Leia o texto abaixo:
 








 Há 200 anos como manda a tradição da nossa cidade, no último sábado do mês de novembro, romeiros da romaria da penha se reúnem no inicio da noite na Igreja nossa senhora de Lurdes no centro da cidade com direção à praia da penha percorrendo 14 km de trajeto. Esta festividade reúne mais de 300 mil pessoas na cidade de João Pessoa.
Baseado no texto apresente argumentos favoráveis ou contrários desta romaria para a nossa cidade.
Comentário: essa questão além de ser contextualizada apresenta implicações regionais, significativa para que o aluno responda com base no texto, mais com a opinião sobre essa religiosidade popular. Essa questão aproxima-se do modelo (comunicativo ou psicossocial)
   
1.    Até aqui foram apresentados modelos e critérios para a construção do processo avaliativo. Qual a importância de conhecer todos estes modelos para a qualidade na educação?
Neste contexto, conhecer todos os modelos garantir a oportunidade de pratica-los na avaliação além de estuda-los para alterna-los na técnica de ensino, é necessário que as escolas públicas ou privadas reproduzam esse conhecimento para a qualidade á educação para a cidadania com a formação do projeto politico pedagógico – (PPP) deste sistema de ensino.

2.    Releia o texto aqui apresentado, aponte suas possíveis dúvidas e em seguida faça um texto no qual você aponte as dificuldades e as facilidades para mudanças nos modelos tradicionais de avaliação.

Com a leitura do texto, ficou explícito a concepção das autoras sobre o processo de avaliação da aprendizagem e a perspectiva dos modelos para a construção de resultados significativos para a avaliação. Entretanto, neste contexto, precisamos estuda-los e aborda-los na formação acadêmica, e assegura-las neste novo tempo em que o processo educacional precisa atender as mudanças do conhecimento cultural da sociedade moderna.
Com as leituras desta natureza, podemos com o modelo psicométrico, sistemático, e comunicativo, ou psicossocial, e outras técnicas que possam existir, conduzir estratégias para que este processo seja acompanhado diariamente nas escolas e cobrar deste professor tradicional uma reciclagem técnica e metodológica da avaliação nesta nova dimensão pedagógica que ajudaram na reflexão.  
_______________________________________________________
1- Thalisson Pinto Trindade de Lacerda é Professor Licenciado em Ciências das Religiões
2-Atividade apresentada à Professora Drª Sonia Pimenta, docente da disciplina de Avaliação da Aprendizagem.
3-Questões e texto disponíveis em: <http://www.ead.uepb.edu.br/arquivos/cursos/Geografia_PAR_UAB/Fasciculos%20-%20Material/Didatica_Ensino_Geografia/Di_En_Geo_A09_VIZ_GR_291208.indd.pdf>